Conheça o Vuka-Vuka, afrodisíaco mais potente do planeta

2161
Makokoba Market

Todos os dias minha caixa postal é bombardeada com  promoções de venda de medicamentos e ervas milagrosas para tratamento de impotência e disfunção sexual. Uma verdadeira overdose de mensagens.

Recentemente, conversei com o farmacêutico da drogaria próxima à minha casa. Não me surpreendi quando ele afirmou que os maiores compradores de Viagra, Ciallis , Levitra e outras substancias  são os jovens. A máquina desenfreada da publicidade criou o mito de que basta o sujeito tomar a pílula mágica para que, rapidamente, a mega-ereção aconteça. Óbvio que os efeitos são tentadores para quem anda meia-boca e com problemas de ereção. E a indústria farmacêutica deita e rola com os lucros e de bilhões de dólares.

O que mais causa desconforto, no entanto, são os inúmeros casos de usuários com cegueira repentina ou neuropatia ótica isquêmica. A NOI, essa doença de nome complexo, causa súbita perda de visão ao bloquear o fluxo de sangue para o nervo ótico. O fabricante do Viagra, a Pfizer Inc, destaca que mais de 23 milhões de homens utilizaram-se da droga desde a sua aprovação em 1998. Caso você tenha alguma dúvida, acesse o Google e faça sua pesquisa, são inúmeros documentos esclarecendo casos de perda de visão.  

O tema sobre afrodisíacos sempre me instigou. Para quem não tem idéia, a genitália e chifres dos animais são  afrodisíacos utilizados há séculos tanto na culinária africana como na asiática. Em uma expedição alucinante pelo Zimbábue , conheci o “Makokoba Market”, na cidade de Bulawayo um mercado surreal de curandeiros, bruxos e especialistas em afrodisíacos. A palavra mágica é Vuka-Vuka. Basta olhar as barracas e vendinhas oferecendo o elixir da virilidade: “Se alguma vez na vida você percebeu que aquela brochada o traumatizou, no Makokoba existe a solução”. Estas palavras enfeitavam a placa na fachada da barraca de Charles Sabunka. O local é um circo de plantas, pedaços de animais, garrafadas e uma imensidão de tranqueiras esquisitas.

Cores do incrível Zimbábue
Cores do incrível Zimbábue

O personagem mais famoso na história do Vuka-Vuka é o curandeiro George Moyo, Presidente da Sociedade dos usuários do Vuka. Todas as manhãs, centenas de homens fazem fila na frente da casa de Moyo para pegar sua dose diária do elixir. A fama do Vuka-Vuka espalhou-se pelo planeta depois de uma matéria, feita no final do século passado pela CNN, em que o repórter enaltecia os efeitos e qualidades do néctar da virilidade. A reportagem, reprisada várias vezes, levou milhares de americanos e europeus aos consultórios dos curandeiros no Zimbábue.

Atualmente o Vuka-Vuka é o composto mais popular vendido no Sul do continente africano. Os que usaram o afrodisíaco dizem não ter tido efeitos colaterais. Resolvi fazer um questionário com as mulheres no mercado. A maioria sorria e exclamava que os maridos vivem sempre armados e sedentos por sexo. Será realmente que funciona? Mister Moyo é a prova concreta da eficácia de seu negócio: tem só 23 filhos. Na volta ao Brasil trouxe 200 gramas escondidos na minha sacola mágica. O que aconteceu? Conto em outra ocasião.

Siga @verissimoarthur