Professor Tomio Kikuchi. O mestre da alimentação

279
Lenda viva da micromacrobiotica professor Tomio Kikuchi (92 anos)

No bairro da Liberdade, São Paulo, localizado na praça Carlos Gomes número 60, 1º andar, encontra-se há décadas o restaurante Satori, de comida natural. O proprietário é a lenda
viva da micromacrobiotica professor Tomio Kikuchi (92 anos). Mestre Kikuchi é o presidente do Instituto Principio Unificador e da Escola de auto-Educação Vitalícia. Sua
sabedoria e ensinamentos foram disseminados pelo Brasil e espalhou-se no planeta Terra.

Conhecia as histórias e lendas da trajetória do professor Kikuchi há mais de 25 anos. O
restaurante é coordenado pela serena e hábil esposa Bernardette Kikuchi que orienta com
muita dedicação os integrantes da cozinha. Mestre Kikuchi esbanja sabedoria e muito alto-
astral. Tive a oportunidade de conhecer o professor Kikuchi quando jovem e desde então
aproveito para seguir suas orientações no restaurante Satori.

Na minha última visita, combinamos de conhecer a sede e laboratório dos seus trabalhos em Mairiporã: o sítio da Escola Musso. O local é maravilhoso. A escola Musso está situada a 1.100 metros de altitude sobre o vale de Mairiporã ao lado da reserva florestal da Cantareira. Encontramos um oásis de tranquilidade distante apenas 40 minutos da megalópole de São Paulo.

Muitos eventos, palestras e seminários realizam-se no complexo. A sede é um edifício onde muitas salas e quartos ficam a disposição dos convidados e curiosos. As sábias orientações de saúde e filosóficas do professor Kikuchi são conhecidas empiricamente por milhares de
pessoas. O ministro da Cultura Gilberto Gil o conhece há mais de 30 anos. As cantoras
Beth Carvalho, Vanessa da Mata, a atriz Cássia Kiss e tantos outros redescobriram que
mudando os hábitos alimentares a qualidade de vida modifica-se.

Conversava à sombra de uma ameixeira japonesa no jardim da Escola Musso com o Mestre Kikuchi. Com a habilidade de um samurai Kikuchi ensinava que: “Pensamento é análise, é viver no presente. O câncer é a obra-prima da civilização moderna, que produz os diversos fatores da sua autodestruição. Não existe doença hereditária, mas estilo de vida errado, passado de geração em geração. Quando há correção do estilo, corrige-se também o destino”. Pegou um umeboshi (ameixa) da arvore e me ofereceu.

Com sabedoria e humor, destilou outro salmo “Arthur, com umeboshi na boca não tem papas na língua. A boca fica sempre úmida. Fonte da humanidade é a saliva. Boca seca é deserto bucal, boca úmida é oásis”.

"O sangue renova a vida. A matéria prima do sangue entra pela boca. Cada bocada comida transforma cada gota de sangue", Tomio Kikuchi
“O sangue renova a vida. A matéria prima do sangue entra pela boca. Cada bocada comida transforma cada gota de sangue”, Tomio Kikuchi

Passeando pelo sítio fomos colher alguns legumes na horta. Mestre Kikuchi com muita
generosidade dava uma aula dos benefícios das ervas, árvores e plantas que íamos
encontrando pelo caminho. Sua disposição é contagiante. Ganhei uma sacola repleta de
exuberantes cenouras, nabos, ameixas e uma infinidade de cereais.

Na despedida, Tomio Kikuchi lançou outro pensamento diamantino. “O sangue renova a vida. A matéria prima do sangue entra pela boca. Cada bocada comida transforma cada gota de sangue. O sangue trabalha 24 horas ininterruptamente, sem parar para descansar. Temos que ter entusiasmo em nossa vida inteira. Entusiasmo satisfatório e controlado”.

Mestre Kikuchi atende as pessoas para orientação em todos os sentidos na Praça Carlos Gomes n 60 1º andar.

Siga @verissimoarthur