Em Salvador, o paraíso das tartarugas pode ser o seu também

429
Arthur no paraíso

Salvador é por excelência a cidade das igrejas, mercados, Carnaval e monumentos. Um extraordinário legado cultural acumulado durante séculos. A cidade seduz em todos os gêneros.

Seu litoral estende-se por mais de 40 quilômetros de praias paradisíacas, arrastando turistas de todos os cantos do mundo. Decidi fazer o circuito das praias, iniciando minha peregrinação no porto da Barra, cartão postal soteropolitano que está localizada na região central da cidade e banhada pelas tranquilas águas da Baía de Todos os Santos.

O ponto final e objetivo da nossa divina romaria seria finalmente conhecer a praia de Busca Vida. Relatos de exploradores e viajantes experientes enfatizam que a praia de Busca Vida possui um dos cenários mais lindos do mundo. Supervisionada pelo Projeto Tamar, Busca Vida é a maior aérea de reprodução de tartarugas do litoral norte baiano.

O acesso para Busca Vida é restrito, mas com jeitinho se chega lá
O acesso para Busca Vida é restrito, mas com jeitinho se chega lá

As praias de Salvador oferecem durante todo o ano uma infinidade de possibilidades, desde ficar lagarteando numa praia tranquila, brincando com as crianças nas piscinas naturais da Ondina a desfrutar do surfe nas ondas de Stella Marris e Piatã.  Seguimos costurando a costa num dia ensoladorado, parando e curtindo pela orla marítima.

A praia da Ondina é bastante tranquila e ideal para nadar e se refrescar. Na praia do Rio Vermelho acontece todo dia 2 de fevereiro a festa de Iemanjá e no local se concentra um grande numero de barcos e canoas de pesca. Vamos seguindo pelas Praias de Amaralina, Pituba, Jardim de Allah, Corsário, Jaguaribe, Piatã até chegarmos a maravilhosa praia de Itapuã imortalizada pelos versos de Vinicius de Morais e Dorival Caymmi.

Depois do Farol de Itapuã, encontramos a preciosa Stella Marris com seu mar verde-claro. Vivíamos literalmente a versão baiana da musica de Tim Maia do Leme ao Pontal.  Na praia do Flamengo distante 26 quilômetros da cidade e divisa do município de Lauro de Freitas o paraíso começa a se manifestar. Nada melhor do que dar um tempinho e almoçar na praia da Aleluia na barraca do Loro um local bacanudo da orla. A mudança é brutal na vizinha praia de Ipitanga. A areia é dura e as barracas tocam musica num volume ensurdecedor. Na estrada do coco de Vila dos Atlânticos uma serie de condomínios de luxo abriga a classe média e alta da cidade.

O acesso para Busca Vida é restrito, mas com jeitinho se chega lá. O espetáculo da natureza é soberbo. Pedras, areia fininha, marzão azul-turquesa e um colar de imensos coqueiros emolduram o visual.  Vejo um grupo de tartarugas movimentando-se entre e o mar e areia. Um rapaz aproxima-se e comenta ser um dos integrantes do projeto Tamar. Fico interessado em saber como é a vida dessas tartarugas.

O Projeto Tamar foi criado em 1980 como uma ONG e no ano passado conquistou o número de oito milhões de filhotes protegidos e lançados ao mar
O Projeto Tamar foi criado em 80; em 2017, chegou a 8 milhões de filhotes protegidos e lançados ao mar

Com propriedade o jovem explica que a temporada reprodutiva acontece entre setembro e março. No local, existem 1.200 ninhos que geram cerca de 70 mil filhotes. Cada fêmea incuba cerca de 120 ovos por temporada. A previsão é que agora no mês de maio, ele ira acompanhar o nascimento dos bebês tartarugas.

Projeto Tamar tem importante papel
Costa brasileira tem cinco espécies de tartarugas marinhas das sete conhecidas no mundo

Para quem não sabe, o Projeto Tamar foi criado em 1980 como uma ONG e no ano passado conquistou o número de oito milhões de filhotes protegidos e lançados ao mar. No mundo existem sete espécies de tartarugas marinhas. Na costa brasileira é possível encontrar cinco tipos. Fora predadores, Busca Vida é tudo de bom.

Siga Arthur Veríssimo no Instagram @verissimoarthur