Segue o baile: vire milongueiro após aula de tango em Buenos Aires

163
Arthur Veríssimo on tango

Você já teve a oportunidade de ir a uma milonga ou casa de tango em Buenos Aires? Quem esteve e experimentou sabe muito bem que a dança e o estilo de música fazem parte do patrimônio cultural argentino e mundial. Agora para quem não conhece é fundamental na próxima viagem a Buenos Aires mergulhar de corpo e alma nesta frequência musical imortalizada por Carlos Gardel e Astor Piazolla.

Por todos os lados em Buenos Aires transpira e reverbera o tango. Nas esquinas, ruas, teatros e bairros distantes, bailarinas, artistas e transeuntes executam movimentos precisos e fazem nosso espírito flanar em piruetas. Aprender a bailar o tango exige muita dedicação e treinamento.

Um dos fatores fundamentais além da dança é a indumentária. As roupas e os acessórios corretos são itens imprescindíveis para a completa incorporação. Lojas especializadas facilitam a vida do interessado. Para o homem entrar no espírito do tango, são necessários camisa de seda e algodão juntamente com calça de corte afunilado nas pernas. Não podemos esquecer o chapéu.

Existem dois tipos: o Chambergo de abas longa, cobrindo um dos olhos sutilmente, e o Funghi que possui abas curtas. As mulheres são um caso à parte. Sempre se destaca pares de coxas roçando no ar. As saias são sumariamente curtas ou com fendas transcendentais.

Por todos os lados em Buenos Aires transpira e reverbera o Tango
“A donzela me concede o prazer da sua dança?”

A função das aberturas nas saias é dar a bailarina mais liberdade as pernas nos movimentos. As blusas são de enlouquecer, decotadas, chiques e sensuais. Um pouco mais abaixo das saias encontramos o fetiche absoluto, a meia sete oitavos de arrastão. Na extremidade não podemos esquecer os sapatos.

Os homens utilizam modelos de amarrar quase sempre bicolor. Para as mulheres existem uma infinidade de modelos impecáveis. Basicamente o sapato tradicional é fechado com o bico arredondado e uma tira que sai da altura do calcanhar dando uma volta no tornozelo.

Óbvio que existem outros modelos como o de bico cortado, deixando os dedos da frente para fora e os de boneca com tiras trançadas pelo dorso do pé. Normalmente para andar e se equilibrar nestes calçados a mulher necessita de muita destreza, imagine bailar em saltos de 6 a 12 centímetros.

Para os marinheiros de primeira viagem todos os passos terminam com os pés juntos
Para os marinheiros de primeira viagem todos os passos terminam com os pés juntos

Muito bem, estamos devidamente trajados e esculpidos com o espírito do tango. Para fazer bem feito e realmente aproveitar, o melhor é ter aulas da dança. Para os marinheiros de primeira viagem todos os passos terminam com os pés juntos. As mulheres são especialistas no “ocho” que é um passo para um lado e um para o outro, desenhando um oito no solo. Fazer o “gancho”, levantada na canela que o casal realiza ao mesmo tempo, enganchando as pernocas exige muito treino. Pensa que é fácil?

Existe uma infinidade de casas tradicionais e inusitadas de tango e milongas na grande Buenos Aires.

Tango faz parte da alma argentina
Ah, como é bom ser milongueiro

Seguem algumas dicas:

Salón Canning

Considerada uma das casas mais tradicionais e segundo especialistas um dos melhores pisos para deslizar. Av. Scalabrini Ortiz, 1331, Palermo. www.milonga-apurotango.com.

Villa Malcolm

Em suas paredes encontra-se emolduradas os maiores nomes da história do tango. Funciona desde 1952. Av Cordoba, 5.064, Villa Crespo. www.tangocoll.com.

Club Atletico Fernandez Fierro

Balada das boas. A boemia portenha espalha-se pelo ambiente. Muitos jovens descolados disputam as mesas celebrando a vida. Calle Sanchez de Bustamante, 764, Balvanera. www.fernadezfierro.com.

Confiteria Ideal

O local foi inaugurado em 1912. O visual interno é bacanudo. Muita agitação. Calle Suipacha, 384, San Nicolás. www.confiteriaideal.com. Sunderland Club. Acreditem se quizer. A milonga acontece em uma quadra de basquete em Villa Urquiza. As figuras que bailam são de outra esfera. Calle Lugones, 3161. www.sunderlandclub.com.ar.

Me sigam também no Instagram @verissimoarthur