Yes, nós temos uma Nova Iorque brasileira

754
Arthur Verissimo na Nova Iorque brasileira

Desembarquei  em Teresina, capital do Piauí, ao cair da tarde. Na manhã seguinte seguiríamos pelo interior do estado, por um Brasil desconhecido. Meu objetivo: conhecer a curiosa e surreal Nova Iorque, que está localizada no leste maranhense, nas Chapadas do Alto Itapecuru.

A caminho de Nova Iorque
A caminho de Nova Iorque

O espírito da aventura contaminava nossa viagem. Em vez de seguir pela rodovia, costurávamos pelas estradas vicinais. O cenário era um oásis de tranquilidade de montanhas, rios, matas e, ao longe, a Chapada das Mangabeiras. O visual era estonteante.

A caminho da Nova Iorque maranhense
A caminho da Nova Iorque maranhense

Eram raros os veículos que passaram em nossa trajetória. O único incidente foi quando chegamos a uma ponte que estava toda destruída e tivemos que retornar. Aproveitamos o ensejo e registramos a bela ponte detonada.

Chegando!
Chegando!

Nossa Nova Iorque possui uma ‘Manhattan’ reduzidíssima. Não existem arranha-céus, mundo financeiro, museus e milhões de pessoas como na cidade-irmã. A Nova Iorque maranhensense é modesta, com suas casas simples, ruas limpas e muitas pracinhas.

Chegamos!
Em solo maranhense

Com pouco mais de 4 mil habitantes, a cidade é tão tranquila e sossegada que, depois de batermos papo com alguns moradores, eles nos convidaram a conhecer a delegacia. O local estava totalmente aberto. Bernardino Souza, conhecido como Solteiro, disse que o índice de violência por lá é ZERO. Não existem delitos ou confusão. As paredes das celas viraram telas para desenhos da criançada, um oásis de civilidade.

Novos amigos!
Novos amigos!

Segundo a cativante dona Varoa Varon, esta Nova Iorque é a terceira. As anteriores foram inundadas com a construção da barragem Boa Esperança do outro lado do Rio Parnaíba, no Piauí e transformou o local num imenso lago, então na margem de Nova Iorque, surgiu a grande atração local: a praia do Caju. No local, encontramos alguns turistas de Teresina, Belém e de cidades vizinhas desfrutando da brisa e água fresca.

A Big Apple
A Big Apple

Almoçamos um peixe fresco regado a litros de suco de cajá e graviola em uma das barracas da orla. Alimentados e com o combustível no veículo, seguimos novamente para a estrada. On The Road Again! Nosso objetivo agora é a misteriosa e distante Filadélfia, na fronteira entre os estados do Maranhão e Tocantins.  Conto tudo na próxima…

 

Me sigam também no Instagram @verissimoarthur