Árvore do Pequeno Príncipe! Repórter sai à caça dos Baobás pelo Brasil

1927
Alameda dos Baobás em Madagascar

No livro ‘O Pequeno Príncipe’ de Saint Exupéry, a árvore Baobá está inserida na história e no solo do pequeno planeta B612 como uma praga. O livro vendeu mais de 80 milhões de cópias em todo o mundo e foi parceiro de muitas gerações.

O Baobá de Exupéry
O Baobá de Exupéry

O autor da obra-prima passou alguns dias na cidade do Recife, e diz a lenda que ele teria se inspirado na árvore (Baobá) plantada na Praça da República em frente ao Palácio do Governo.

O baobá da Praça da República, no Recife
O baobá da Praça da República, no Recife

Minha paixão por esta árvore vem das minhas andanças pela África, e principalmente quando eu estive em Madagascar. Viajei pela ilha paradisíaca durante um mês e fotografei centenas delas. A mais imponente foi a árvore sagrada no vilarejo de Tsihombe. Seu diâmetro era de 10 metros e tinha mais de 1.500 anos de vida!  Desde então, tenho percorrido o planeta farejando exemplares de Baobá.

Lá em Madagascar
Lá em Madagascar

Originária da África, o Baobá vive entre três e seis mil anos. Cientificamente, é conhecida como Adansonia Digitata e fazem parte do seu gênero oito espécies distintas. No Brasil, os primeiros Baobás foram trazidos pelos portugueses e por sacerdotes africanos no período da escravidão. Minha curiosidade me levou a diversos pontos do país onde se encontram exemplares do Baobá.

Arthur Veríssimo em Madagascar
Arthur Veríssimo em Madagascar

No Rio de Janeiro, detectei dois exemplares: um belíssimo no Jardim Botânico e outro na Lagoa Rodrigo de Freitas. No Estado do Rio Grande do Norte, encontrei um na cidade de Natal e tive a oportunidade de conhecer na cidade de Assú, distante 210 km de Natal, alguns exemplares de mais de 300 anos localizadas nas margens da Lagoa do Piató, onde existem vestígios de casa-grande e senzalas.

O baobá da Praça da República, no Recife
O baobá da Praça da República, no Recife

Na cidade de Fortaleza, no Ceará, existe um exemplar exuberante na praça do Passeio Público. Já o Estado de Pernambuco concentra o maior número de Baobás no Brasil. No município de Ipojuca, nas exuberantes praias de Porto de Galinhas e Muro, dezenas de exemplares estão espalhados pela região.

O baobá da Praça da República, no Recife
O baobá da Praça da República, no Recife

No Recife, existem mesmo alguns Baobás estonteantes! Na minha última visita à cidade, fui finalmente conhecer o Baobá da Praça da República em frente do Palácio do Governo, aquele que teria inspirado o autor de ‘O Pequeno Príncipe’. Percorrer as ruas do velho centro foi uma experiência inigualável. Finalizei a caminhada meditando à sombra desta imensa árvore. O Baobá em questão foi tombado no dia 02 de abril de 1986 e encontra-se impecavelmente preservado.

Aos estimados leitores, agradeço profundamente as dicas e locais de árvores centenárias e milenares espalhadas pelo Brasil e pela América do Sul.

 

Arthur Veríssimo

Me sigam também no Instagram @verissimoarthur