Fernando de Noronha tem mergulho para atleta turbinado e até turista sedentário

Como todos os caminhos levam a Roma, em Noronha todos os caminhos levam ao mar

76

São muitos os motivos para conhecer, desvendar e retornar ao paradisíaco arquipélago de Fernando de Noronha.  Tudo aquilo que você ouviu falar, leu ou degustou observando fotografias das belezas naturais do local provavelmente é a mais autêntica verdade. Distante 445 quilômetros de Natal, no Rio Grande do Norte, e 545 km de Recife, capital de Pernambuco, estado onde fica, o arquipélago de Noronha é incontestavelmente uma das joias do turismo ecológico no planeta Terra.

Preservado como Patrimônio Natural do Brasil e do mundo, o arquipélago abriga tartarugas marinhas, golfinhos, peixes e pássaros das mais diversas espécies. Um verdadeiro paraíso ecológico.

Na minha estadia, explorei tudo aquilo que tinha à disposição.  As caminhadas são fascinantes: acordar cedinho e acompanhar a trilha para a Baía dos Golfinhos é uma experiência que vale a pena. O visual do mirante que está a 60 metros de altura é hipnotizante. O mais incrível é o espetáculo das acrobacias que os golfinhos oferecem logo pela manhã, dando saltos e piruetas em seu habitat natural.

Como todos os caminhos levam a Roma, em Noronha todos os caminhos levam ao mar. Não tem essa de ficar parado. Passeios indescritíveis e praias belíssimas para qualquer tipo de turista, desde o sedentário ao atleta turbinado.

Para quem deseja navegar ao redor do arquipélago, nada melhor do  que fazer um passeio marítimo saindo do Porto de Santo Antônio. Entrar em sintonia com a natureza e perceber o ambiente preservacionista que reverbera em Noronha é um aprendizado para qualquer criatura. Alguns projetos bem-sucedidos para os interessados: o Tamar-Ibama, que estuda a vida das tartarugas marinhas, o Golfinho rotador, que analisa os cetáceos em seu habitat.

DSC_9424Finalmente em Noronha, eu iria realizar um sonho de criança: conhecer o fundo de mar e observar os mistérios do mundo subaquático. No arquipélago, existem 16 pontos para a prática do mergulho. As possibilidades são muitas, tanto para os iniciantes como para  os experientes. Meu primeiro mergulho foi na praia de Atalaia. O local é um imenso aquário natural repleto de vida marinha. O mergulho é feito com máscara e snorkel.

Flutuei silenciosamente no raso, observando grupos de peixes prateados, dourados, listrados, corais e até um filhote de tubarão-limão. Na segunda etapa, fiz um curso em uma das excelentes escolas de mergulho na ilha. Estava preparado para a grande aventura de conhecer o fundo do mar. Dentro de uma embarcação parti para a Ponta da Sapata.

No local, o instrutor deu as últimas orientações e ajudou a colocar toda a parafernália em meu corpo. O equipamento inclui lastro, colete, regulador, máscara, nadadeira e, o mais importante, os cilindros de oxigênio. Durante um bom tempo, fiquei extasiado observando miríades de peixes e cheguei a 25 metros de profundidade. Que experiência! Quando for a Noronha, mergulhe fundo em suas fantasias.

DSC_9437