Maior cajueiro do mundo fica no Rio Grande do Norte; saiba mais

91
O maior cajueiro do mundo é do Brasil! / Foto: Instagram @love_in_a_photo

O dia estava radiante e logo cedinho partimos para conhecer a fulgurante Rota do Sol (RN-063) que se estende por todo o litoral sul do Rio Grande do Norte. Nossa primeira parada foi a Praia de Pirangi do Norte, onde tivemos uma imensa surpresa.

Praia de Pirangi do Norte / Foto: Instagram @jackson.muniz_
Praia de Pirangi do Norte / Foto: Instagram @jackson.muniz_

Uma árvore com galhos por todos os lados e com uma largura desproporcional dominava os olhares de dezenas de curiosos. Paramos o veículo e lá fui conferir.

Cajueiro / Foto: Instagram @assadfabiano_fotografia
Cajueiro / Foto: Instagram @assadfabiano_fotografia

Estava frente a frente do maior cajueiro do mundo! Pra vocês terem uma ideia, a árvore cobre uma área de aproximadamente 8.500 metros quadrados em um perímetro de 500 metros. Encantado com a exuberância da árvore, fomos abduzidos para o interior do ‘parque’.

Um grupo de guias interagia contando a história da árvore e dava uma aula sobre as propriedades do caju. Segundo os especialistas, o crescimento do mega-cajueiro se deu a conjunção de duas mutações genéticas. Ao invés de crescer para o alto, os galhos da árvore cresceram para os lados, e com o tempo, devido ao próprio peso, os galhos cederam e se curvaram para o solo.

Foto: Instagram @priihefehs2
Foto: Instagram @priihefehs2

Sendo assim, ao tocar a superfície, os galhos criaram raízes e cresceram como se fossem troncos de outras árvores. Olhando a distância, parece se tartar de vários cajueiros. Engano, amigos, aquele emaranhado de ramos e galhos é uma única árvore. Diz a lenda que o cajueiro foi plantado por um pescador em 1888, e que, nos últimos 30 anos, aumentou 3 mil metros quadrados. O problema atual é que não existe mais espaço físico, o cajueiro mutante está cercado por cercas.

Foto: Instagram @anacrilima
Foto: Instagram @anacrilima

Sua vizinhança é a rodovia e as casas de moradores. Dei azar de conhecer a árvore no mês de março, época em que  não encontrei fruto algum. A safra do cajueiro acontece entre os meses de dezembro e janeiro, e são colhidos uma média de 80 mil cajus para deleite dos turistas e viajantes. Na estrutura do parque existe um mirante de mais de 8 metros onde se tem uma vista alucinante da copa da árvore e o horizonte da praia de Pirangi.

Foto: Instagram @karol.hmendonca
Foto: Instagram @karol.hmendonca

No entorno do cajueiro existem dezenas de lojas e quiosques vendendo sucos, lembrancinhas e, obviamente, uma infinidade de doces e guloseimas de caju. Fruto nativo do Brasil, nosso delicioso caju foi levado pelos portugueses do Brasil para a Ásia e para a África. O Brasil é o quarto maior produtor de caju no mundo. O Vietnã, a Nigéria e a Índia estão na frente do Brasil.

O fruto propriamente dito é a castanha cuja semente é consumida depois de ser assada.  Salgada, doce ou torrada, a castanha é um iguaria única na culinária brasileira.  A maioria conhece como fruta a parte suculenta e carnuda. Dessa parte deliciosa do caju é feito suco, mel, doces, cajuína e uma infinidade de rapaduras. Caju amigo.

 

Me sigam no Instagram @verissimoarthur